Mandiocas-BRS para Indústria

A demanda do setor produtivo do país por novas variedades com alta produtividade,  elevado teor de amido e resistência às principais doenças é grande. Na região centro-sul, estão concentradas as indústrias, responsáveis por cerca de 80% da produção brasileira de fécula de mandioca, mas a produção de raízes baseia-se em poucas cultivares, plantadas em grandes áreas. Em consequência disso, têm surgido vários problemas, associados principalmente a pragas e doenças, que  diminuem a produtividade, prejudicando o rendimento das indústrias e reduzindo o lucro dos agricultores.

BRS-CS-01

Mandioca BRS-CS-01A BRS CS 01 é uma cultivar de mandioca para a indústria, recomendada para cultivo nas regiões sul/sudeste do Mato Grosso do Sul, noroeste e extremo oeste do Paraná. Nessas regiões, sua produtividade média de raízes foi de 35,2 ton/ha no primeiro ciclo (colheita por volta dos 12 meses) e 59,1 ton/ha no segundo ciclo (colheita por volta dos 18 meses). Renda de 14,2 ton/ha de amido no primeiro ciclo chegando a 21,6 ton/ha no segundo ciclo. A superioridade nos dois ciclos indica que a BRS CS 01 alia a precocidade à capacidade de aumentar significativamente a produtividade quando colhida com dois ciclos, característica altamente demandada pela cadeia produtiva. Quanto às principais doenças, a variedade apresentou resistência à bacteriose e menor suscetibilidade ao superalongamento. O seu porte é reto, o que a torna apropriada ao plantio mecanizado, e o seu percentual elevado de cobertura do solo permite um número menor de capinas, resultando em diminuição do custo. Além disso, em virtude de seu desempenho nos experimentos implantados em plantio direto, a BRS CS 01 se constitui na primeira variedade de mandioca indicada para o plantio direto, o que agrega sustentabilidade aos sistemas de produção da cultura da mandioca.

PDF EMBRAPA Informativo BRS-CS-01

BRS-420

Mandioca BRS-420A BRS 420 é uma cultivar de mandioca para uso industrial recomendada para os  estados do Paraná e Mato Grosso do Sul. Com aptidão para uso no plantio direto, a cultivar apresenta expressiva superioridade às variedades mais utilizadas nestas regiões quanto à produtividade de raízes e amido, tanto no primeiro quanto no segundo ciclo. Além de possuir resistência moderada à bacteriose, superalongamento e antracnose, a cultivar apresenta porte ereto, que favorece os tratos culturais, a colheita e a produção de ramas para o plantio. Testes realizados em fecularias revelaram elevada aptidão da cultivar para uso industrial, uma vez que
as raízes da mesma apresentam fácil descascamento e amido de alta qualidade para a alimentação. Outra característica importante da BRS 420 é a facilidade de arranquio, em função da disposição horizontal de suas raízes e da presença de pedúnculo. Produtividade média de 46 ton/ha no primeiro ciclo e podendo chegar a 53 ton/ha no segundo ciclo. Renda de 13,4 ton/ha de amido no primeiro ciclo chegando a 15 ton/ha no segundo ciclo.

PDF EMBRAPA Informativo BRS-420

About the author: